@2017 por Laura Ayres. 

May 15, 2017

Please reload

Posts Recentes

Como curar o mundo com uma criança de cada vez.

April 8, 2017

1/1
Please reload

Posts Em Destaque

BLISS: a evolução do BLW!

Se você é adepta da abordagem BLW, precisa ler este post. Se você não sabe (ainda) o que é BLW, e muito menos BLISS, precisa ler este post também. =)

BLW (Baby Lead Weaning) é uma abordagem de introdução alimentar para bebês de 6 a 12 meses, baseada na completa autonomia da criança, sem uso de talheres ou da intervenção do adulto. Já fizemos um post sobre isso, você pode ler um pouco mais acessando nosso Blog! (https://www.almaterna.com.br/blog)

 

Mas, como nossa ciência está em constante evolução, as preocupações técnicas com a abordagem BLW geraram uma evolução nas recomendações gerais para quem segue esta abordagem: isso mesmo, preocupações! As evidências científicas que comparam o BLW à abordagem convencional discutem muito o risco das crianças não consumirem volume e qualidade de alimentos o suficiente para a boa nutrição e desenvolvimento, além do risco de engasgo. Algumas pesquisas mostram que as crianças alimentadas via abordagem BLW consumiam menos ferro e mais gorduras, por exemplo. Já o risco de engasgo é o mesmo da abordagem tradicional.

 

Assim, uma nova nomenclatura sem sido utilizada para as novas recomendações: a abordagem BLISS (Baby Lead Introduction to Solids). A abordagem BLW continua, com o bebê completamente autônomo e todos os cuidados sobre a postura, tamanho dos alimentos oferecidos e sinais de prontidão que eram realizados antes. Entretanto, algumas novas recomendações sobre o tipo dos alimentos oferecidos são frisadas:

 

1. Todas as refeições devem conter alimentos fontes de ferro. Carnes e leguminosas no almoço e jantar, e alimentos fortificados com ferro nas demais refeições.

 

2. Todas as refeições devem conter alimentos que aumentem a densidade energética da refeição (ou seja, que agreguem calorias).

 

3. Os alimentos que aumentam o risco de engasgo devem ser evitados. São eles:

  • Alimentos duros que não se possa amassar com a língua contra o céu da boca

  • Alimentos muito pequenos inteiros: uvas, pipoca, castanhas e oleaginosas em geral, sementes - uvas, tomate cereja, ovos de codorna devem ser cortados longitudinalmente e em 4 partes.

  • Legumes e frutas duras cruas (maçã e pêra, principalmente), frutas com gomos inteiras

  • Alimentos secos que formem uma "farofa" na boca da criança, dificultando a deglutição.

     

     

4. Oferecer uma fruta ou vegetais em cada refeição.

 

5. Oferecer um alimento de cada grupo alimentar (proteínas, cereais, vegetais, fontes de vitamina C, leguminosas) em cada refeição, assim como seria feito na abordagem convencional.

 

Por isso, é importante consultar a equipe de saúde que acompanha o seu bebê (nutricionista, fonoaudióloga, pediatra) para usar a abordagem de maneira adequada, ou então pode vir participar do nosso curso de Introdução Alimentar para bebês que oferecemos aqui na Almaterna em parceria com a mestre Cook Acessoria. Para saber mais entre em contato conosco!

 

 

 

Referências:

Daniels et al. BMC Pediatrics (2015) 15:179

Cameron et al. BMC Pediatrics (2015) 15:99

PEDIATRICS Volume 138 , number 4 , October 2016 :e 20160772

Compartilhe
Please reload

Siga